quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Presidente do consórcio Santa Cruz será convocado em CPI dos Ônibus

Reunião da CPI dos Ônibus da Câmara do Rio

Depois de muita discussão, a CPI dos Ônibus da Câmara decidiu qual será a próxima convocação: Orlando Pedroso Lopes Marques, presidente do consórcio Santa Cruz, que atende bairros como Bangu, Campo Grande e Realengo.
O problema é que, para os edis finalmente chegarem a um consenso, tiveram que debater por horas a fio, na última terça-feira (31).
Tudo porque não estava presente o vereador Jairinho (PMDB), que, na semana passada, pareceu estar na outra ponta da investigação, defendendo as escolhas do ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB).
Quando os vereadores passaram a discutir quem iriam convocar, o presidente da comissão, Alexandre Isquierdo (DEM), avisou que, antes de bater o martelo, iria discutir o assunto com Jairinho... extraoficialmente!
Isso porque o plenário estava completo, com o suplente Felipe Michel (PSDB) assumindo a vaga deixada pelo peemedebista ausente.
O assunto só foi decidido depois que a própria secretária da CPI interferiu e lembrou que as decisões da comissão devem ser tomadas em sessões oficiais.
Mensagem na garrafa
Escaldado, Tarcísio Motta (PSOL) fez questão de antecipar os requerimentos que levará para a próxima reunião: "Vamos definir os interrogados para as próximas sessões, inclusive a convocação de Eduardo Paes".
E, claro, o moço não perdeu a chance de ironizar a situação:
"Quem não puder comparecer, envie suas indicações por ofício, email, ‘zap’ ou até mensagem na garrafa para não perdermos tempo como hoje".

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Nova aquisição da Verdun, apesar do encerramento de sua atividade





A Viação Verdun adquiriu mais carros novos para sua frota, mas se trata de uma encomenda que já havia sido feita no primeiro semestre, sendo que agora a frota foi apresentada. Caso confirme o encerramento da Verdun dia 1 de novembro, os mesmos carros poderão ser reaproveitados pela Transurb ou Nossa Senhora das Graças.


Sumiço das linhas de ônibus 832 e 806 gera protestos na Taquara

Segundo a Secretaria municipal de Transportes, elas foram suspensas por não estarem operando conforme o estabelecido em contrato

POR ÁRION LUCAS 25/10/2017 4:30


Ônibus na Taquara: passageiros reclamam das mudanças de linhas sem aviso - Pedro Teixeira / Pedro Teixeira/19-7-2012
PUBLICIDADE

ÚLTIMAS DE BAIRROS


O professor Sérgio Nogueira em sua casa, onde grava os vídeos para o canal do YouTube
Foto: Divulgação Professor de Língua Portuguesa, Sérgio Nogueira lança canal no YouTube 25/10/2017 4:30

Ônibus na Taquara: passageiros reclamam das mudanças de linhas sem aviso
Foto: Pedro Teixeira / Pedro Teixeira/19-7-2012 Sumiço das linhas de ônibus 832 e 806 gera protestos na Taquara 25/10/2017 4:30
Casquinha de siri leva catupiry e pimentões Foto: Bárbara Lopes / Agência O Globo Aprenda a fazer casquinha de siri para até seis pessoas 24/10/2017 4:30
Everton Valladão. Várias ocupações até se descobrir como chef Foto: Bárbara Lopes / Agência O Globo Importante é ‘extrair sabor’, diz chef do Curi Everton Valladão 24/10/2017 4:30


Há cerca de 15 dias, o desaparecimento repentino de duas linhas de ônibus pegou de surpresa moradores da Taquara. Desde então, as antigas linhas 832 e 806 deram lugar, respectivamente, à 963 e à 865. Mas, segundo alguns passageiros, as novas linhas não apenas fazem trajetos mais curtos, como estendem os tempos originais de percurso. Em razão da frota reduzida, em muitos casos as vans se tornam a principal ou a única opção — e, como costumam andar lotadas, isso torna mais difícil a locomoção rumo a diferentes pontos da cidade.

Nathan Morais vai ocasionalmente à Zona Sul a trabalho. O universitário diz que, até o mês passado, para sair de sua casa, em Curicica, usava a linha 832, que o deixava no Terminal Alvorada, de onde pegava o BRT até o metrô do Jardim Oceânico. Agora, ele precisa pegar a 963 e seguir até a estação Curicica do BRT, o que aumentou seu tempo de viagem até a Barra em cerca de 20 minutos. Além disso, aos domingos e feriados, é necessário fazer uma baldeação no Alvorada para chegar ao metrô.

— Era uma linha muito importante para muita gente, e simplesmente não avisaram nada. Eu estava lá no ponto, esperando normalmente, quando vi o ônibus 963 passando — explica Morais, que diz ter descoberto pelo boca a boca da internet que a linha 832 não estava operando. — Mais uma vez, sequer consultaram a população. Qual a vantagem de deixar trabalhadores esperando horas e horas para, depois, fazerem um trajeto maior, muitas vezes pagando mais? E quem opta pelas vans enfrenta filas enormes.


Moradora da Taquara, a assistente administrativa Juliana Sardo diz que tem evitado usar as vans devido à lotação, mas, na correria do dia a dia, às vezes acaba cedendo. Segundo ela, quando a 832 estava em circulação, o tempo de espera no ponto da Estrada do Guerenguê, na altura da Praça da Playboy, ficava em torno de 15 minutos; e, com a nova linha, pode ser de mais de uma hora. Além disso, ela diz que o trajeto da 963 inclui ruas mais engarrafadas, como a André Rocha:

PUBLICIDADE

— Eu dependia da linha antiga para chegar ao trabalho, e fiquei à mercê das vans, que já chegam cheias ao meu ponto. Vejo muita gente de idade com dificuldade, porque a 832 passava pelo centro da Taquara, e, agora, é preciso andar um bom pedaço até lá. Muitas vezes, os idosos também não conseguem pegar as vans, porque elas só levam duas gratuidades de cada vez.

Julianne Ribeiro costumava pegar o 806 para ir da Estrada dos Teixeiras até a Freguesia. No último sábado, ela se surpreendeu ao descobrir que a linha fora substituída pela 865, que deixa os passageiros no Largo da Capela — onde há outras linhas em direção ao centro da Taquara — em vez de seguir pela Estrada do Rio Grande, como fazia o 806:

— Além de o transporte ser precário, essas mudanças são frequentes. Nessa os maiores prejudicados têm sido os alunos dos colégios públicos que precisam ir para o centro do bairro.

Multas levaram a suspensões

Segundo a Secretaria municipal de Transportes, as linhas 832 e 806, de responsabilidade do Consórcio Transcarioca, foram suspensas por não estarem operando conforme o estabelecido em contrato.

O órgão informa que o consórcio já foi multado dez vezes só este ano por operar a 806 com frota abaixo do determinado. Por sua vez, a linha 832 foi alvo de três multas em 2017, também por operar com frota reduzida.

PUBLICIDADE

Ainda segundo a secretaria, não houve comunicado oficial da mudança à população por se tratar de uma suspensão provisória, que ainda pode ser revertida caso a Transcarioca se comprometa a botar em circulação a quantidade de ônibus que consta nas obrigações contratuais. Se não o fizer, o consórcio continuará pagando multas diárias à prefeitura.

Enquanto a situação não for normalizada, as linhas substitutas, que tiveram seus trajetos originais alterados para atender à demanda dos passageiros da 806 e da 832, serão mantidas como opção.



Leia mais: https://oglobo.globo.com/rio/bairros...quara-21987805

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Salvador-BA. Linhas de ônibus metropolitanos serão alterados a partir desta quarta (25)


Dez linhas de ônibus da região metropolitana que circulam nas Avenidas Prof. Pinto de Aguiar (Patamares), Jorge Amado (Imbuí), Magalhães Neto (Pituba) e Rua Arthur de Azevedo Machado (Costa Azul) terão itinerários e pontos finais alterados, a partir desta quarta-feira (25). 

Segundo a Agerba, as mudanças acontecem para ampliar a integração com o sistema metroviário, reduzir o tempo de viagem entre as cidades da RMS e diversos pontos da capital.

As linhas que circulam no corredor Av. Prof. Pinto de Aguiar, 860I.URB, 857.URB, 881.URB, 843.URB e 849.URB, que iam para o Itaigara, Calçada ou Terminal da França, terão itinerários encurtados na estação Pituaçu. 

Já as linhas 882.URB e 882A.URB (Portão e Vida Nova x Terminal da França) serão encurtadas na estação Pernambués, de onde retornam aos seus itinerários de origem. O mesmo vai ocorrer com as linhas 879.URB e 886.URB (Lauro de Freitas e Jauá x Terminal da França), que também passam a ter a Estação Pernambués como ponto final. 

O passageiro que desejar seguir até o Terminal da França, Calçada, ou outra localidade, deverá integrar com o metrô e posteriormente com um ônibus urbano nos terminais intermediários, utilizando os cartões Metropasse, CCR Metrô ou Salvador Card, pagando apenas uma passagem. 

Fiscais da Agerba vão acompanhar os primeiros dias da alteração. Dúvidas, reclamações e elogios podem ser registrados junto a Ouvidoria da agência reguladora através do telefone 0800 071 0080 ou e-mail agerba.ouvidoria@agerba.ba.gov.br.

Fonte: Bocao News


Passageiros reclamam que os ônibus da linha 388 sumiram das ruas


Em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, os moradores que dependem da linha 388 , que faz o trajeto entre o bairro de Santa Cruz e o Largo da Carioca, afirmam que os ônibus só circulam em quatro horários pela manhã e outros quatro horários na parte da tarde. E que não circula nos fins de semana nem nos feriados.

Segundo os usuários, pela manhã, os ônibus circulam saem às 5h30, 6h, 6h30 e 7h. À tarde, nem dá para garantir a volta para casa, já que os ônibus só circulam entre 14h e 16h. Quem mora na região, só dispõe desta linha para chegar ao Centro do Rio. Sem o 388, os passageiros têm que pegar um ônibus até Coelho Neto e de lá seguir em outro ônibus ou de metrô. Ou então, pagar R$ 14 pela passagem de um ônibus mais confortável com tarifa diferenciada, conhecido como "frescão".

“O que a gente vê aqui em Santa Cruz, no Cesarão, é que a linha 388 simplesmente sumiu. Tem um ônibus ou dois a partir das 6h e depois não tem mais”, reclamou o morador Marcelo Calixto.

Outro morador, Rafael Monteiro, também questionou que a linha 388 não passa nos fins de semana e nos feriados. E que a única alternativa para ir ao Centro é o frescão.


O consórcio Santa Cruz e a Rio Ônibus informaram que, nos últimos dois anos, cinco empresas de ônibus da região fecharam e que o consórcio assumiu algumas linhas em caráter de contingência. E que as dificuldades foram aprofundadas pela falta de reajuste nas passagens, a redução de R$ 0,20 no valor e pela concorrência com vans e kombis.

A Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) disse que tem feito ações de fiscalização e que nos últimos meses o consórcio foi multado cinco vezes por atuar abaixo do número determinado de ônibus.

A falta de linhas que deveriam estar circulando pelas ruas não é novidade. Na última quinta-feira (19), os moradores de Realengo, também na Zona Oeste, reclamaram da ausência de veículos cumprindo o trajeto da linha 367, que percorria o caminho entre o bairro e a Praça XV.

A 702 A, a linha alimentadora do BRT que passava pela Praça Seca e ia até Madureira e Oswaldo Cruz, também desapareceu das ruas há mais de uma semana. Os passageiros contam que são obrigados a fazer um longo caminho com várias baldeações para fazer o mesmo percurso.

O Bom Dia Rio também mostrou os problemas na linha 832 A, que ia da Taquara até o Terminal Alvorada. Outro caso é o da linha 874, que fazia Marambaia até Ilha de Guaratiba, passando pela Grota Funda. Os passageiros eram obrigados a andar 3 quilômetros por causa da falta dos ônibus. Momentaneamente os veículos voltaram a circular, mas depois voltaram a ser cortados, dizem os usuários.

Informações: g1 RJ


Transportes Estrela opera na 865A mas apresenta problemas


Depois da reclamação dos moradores da ausência da linha 865A Pau da Fome x Taquara, a linha voltou a circular, operada pela Transportes Estrela. O microônibus da Transportes Estrela apresentou problemas mecânicos a noite, com isso, os passageiros ficaram sem ônibus e a linha ficou sem operar naquele momento. 
A Transportes Estrela do Consórcio Transcarioca, no momento não se manifestou sobre o episódio.


terça-feira, 22 de agosto de 2017

Motoristas de BRT anunciam greve de duas horas na quinta-feira

Ônibus do BRT passando no sinal vermelho

Os motoristas de BRT marcaram uma greve de alerta para a próxima quinta-feira. De acordo com o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Rio (Sintraturb Rio), os veículos vão parar entre 17h e 19h. A categoria pede a suspensão de 962 multas por avanço de sinal, causadas por um erro de projeto dos corredores BRT, e a instalação de temporizadores nos sinais de trânsito.
As punições são injustas porque, de acordo com a Secretaria municipal de Transportes (SMTR), os motoristas não têm como parar um veículo do BRT, com 28 metros de comprimento, quando o sinal fica amarelo antes de passar para vermelho. O problema, diz a pasta, foi causado por um erro de projeto do sistema que está sendo reavaliado.
— O secretário anunciou que ia resolver, mas até agora não tomou nenhuma providência. Os motoristas estão tendo descontos abusivos direto dos contracheques — afirmou o presidente do Sintraturb, Sebastião da Silva.
A SMTR informou, no começo de agosto, que está em andamento um estudo técnico para estabelecer um tempo do sinal amarelo que seja compatível com o tamanho e a velocidade do BRT. Na ocasião, o secretário também anunciou que está aberto para receber representantes do Sintraturb. O EXTRA voltou a procurar a secretaria com as cobranças da categoria, e a pasta afirmou que mantém as declarações e só se pronunciará sobre a greve nesta terça-feira.